INSÍGNIA E LEMA

INSÍGNIA E LEMA
CONQUISTANDO OS CORAÇÕES SE VENCE A LUTA

terça-feira, 1 de abril de 2014

XIX - RENDIÇÃO, APÓS QUASE UM ANO NOS CUS-DE-JUDAS




Em princípios de agosto de 1970, somos informados que iríamos ser rendidos. Outras paragens, ainda ignoradas, nos eram agora destinadas. Começa-se os preparativos para entrega de todos os materiais, com exceção de viaturas e do armamento, e a passagem do testemunho. A fim de possibilitar uma interligação mais eficaz e um adequado contacto com a nova realidade, nomeadamente um melhor conhecimento das caraterísticas do terreno, potencialidades aproveitáveis, perigos e, principalmente, pontos mais sensíveis, havia sempre um tempo de sobreposição. Chega o primeiro grupo, que percorreu o trajeto que tínhamos utilizado na nossa ida para aquelas paragens. Boas-vindas aos noviços, de olhos perscrutantes, olhar revelador de muita e compreensível intranquilidade face ao início da sua Guerra. Branquinhos, tez ainda não mudada e moldada ao calor tropical, logo, maçariquitos recém-desembarcados, concluímos de imediato. Adestramento acelerado no que ficaria em sua posse, patrulhamentos em conjunto pois a experiência é grande mestra. Assisto a uma interjeição surreal: um Soldado novel avista um seu conterrâneo e dispara: “oh Luís, que estás aqui a fazer?”. O absurdo seria ridículo se o estado de alma fosse normal.
A transferência de Unidades normalmente é feita em duas fases, mas, neste caso, não se trata duma rotação porque a nova Companhia acaba de chegar à RMA. Todavia, a nossa deslocação é para efeito de rotação, portanto, sujeita ao procedimento habitual, isto é, metade de cada vez. Irei na segunda metade.
Avança a nossa primeira, mas com percurso diferente do utilizado na vinda, isto é, seguindo a picada mais a leste, via nosso Destacamento do Luengue - a ser rendido também -, logo, em áreas de maior preponderância de forças Inimigas, segundo informações recolhidas. Segue também um Grupo de GE’s, como reforço. Abraços aos que partem, por uma despedida temporária, até ao reencontro. Para os “nossos”, até Serpa Pinto, onde nos aguardarão; para os novatos, até ao Luengue, pois avança já um Grupo de Combate deles para render o nosso Grupo que lá está e se sobreporá com ele até à chegada da nossa segunda metade àquele Destacamento, Grupo nosso esse que se juntará depois a nós a fim de seguirmos em coluna única, rumo à Capital do Kuando-Kubango. 

 O Glória e os GE's, na primeira metade. O Autor, só para memória futura
  

Metem-se ao caminho, como tantas e inúmeras vezes antes, mas, desta, uma surpresa estaria reservada.


Carlos Jorge Mota

Sem comentários:

Enviar um comentário

Agradeço o seu Comentário, que vai ser monitorizado